Midias Sociais 



22 de Janeiro de 2020

Manifestação ABPA contra Campanha Natura

 

Senhores associados,


 

Encaminhamos abaixo, para conhecimento, manifestação da ABPA enviada para a Natura, sobre campanha da empresa que estimula o equívoco da "Segunda sem Carne".


 

Clique aqui e veja toda a campanha no site da Natura.

 


Adequaremos o tom da resposta, conforme a reação da empresa.


 

Atenciosamente,


Francisco Turra
Presidente da ABPA


Ofício ABPA nº 017/2020 São Paulo, 17 de janeiro de 2020.


Senhor João Paulo Brotto Gonçalves Ferreira
CEO
Grupo Natura&Co
São Paulo - SP


Prezado Senhor,


A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que representa a avicultura e a suinocultura do Brasil, vem externar a profunda indignação de todo o setor produtivo, frente à campanha movida pela Natura & Co na equivocada "Segunda Sem Carne".


Tal campanha estabelece um claro preconceito sobre a produção e sobre os produtores, que dedicam suas vidas a produzir alimentos seguro, de alta qualidade e com sustentabilidade.


Falamos de 4,1 milhões de pessoas, entre empregos diretos e indiretos na cadeia produtiva da avicultura e da suinocultura. São mais de 100 mil famílias de pequenos produtores - a base de nosso sistema. Muitos deles, consumidores e fieis à marca
Natura.


Se o alicerce para tal campanha é a preservação da Amazônia, saiba que a avicultura e a suinocultura do Brasil estão instaladas fora do Bioma Amazônico - concentradas, em especial, no Sul e Sudeste do Brasil.


Conscientes de nossa responsabilidade, nós, produtores de aves, suínos e ovos, produzimos com total respeito à legislação ambiental do Brasil - sabidamente, uma das mais rígidas de todo o mundo.


Ao mesmo tempo, é importante ter ciência de que os insumos utilizados em nosso sistema produtivo não provêm de áreas devastadas da Amazônia.


Por isto, é importante reafirmar: são equivocadas e claramente preconceituosas delegar ao setor de proteína animal responsabilidades que vão muito além de nosso sistema produtivo.


E, em contraponto, ofertamos aqui algumas informações - estas, sim, corretas:


- Contribuímos para a segurança alimentar para a população brasileira, com proteínas de alta qualidade. O consumo per capita do Brasil é de, em média, 42 quilos de carne de frango e 15 quilos de carne suína por ano, além de 230 ovos. São proteínas altamente nutritivas, acessíveis, fundamentais para a boa nutrição de todas as gerações, de crianças aos idosos;


- A Avicultura e a Suinocultura geram emprego e renda para a população brasileira, em especial, no interior do País. Cidades inteiras dependem economicamente da atividade. Em diversos estados, os melhores Índices de Desenvolvimento (Dados Firjan) são registrados em municípios cuja a base econômica é a produção de aves, suínos e ovos.


- Quase 70% de nossa produção de aves, 80% de suínos e 100% de ovos são direcionadas para a população Brasileira. O restante é embarcado para mais de 150 nações em todo o mundo, de mercados ricos - como União Europeia e Japão - a nações menos favorecidas, nas quais somos parceiros estratégicos para a garantia de segurança alimentar.


- Recebemos mais de 1 mil inspeções anuais, sejam oficiais ou de certificadoras privadas, contratadas por grupos importadores. Entre os pontos de inspeção estão questões relacionadas à preservação ambiental. A lupa destas certificadoras atesta o nosso respeito ao meio ambiente.


Senhor CEO, frente a todos estes pontos e em respeito aos milhões de brasileiros - incluindo os pequenos produtores em todo o País - pedimos que seja feita a imediata suspensão da campanha nas redes e nos sites da Natura & Co.


Respeitamos àqueles que optam por não consumir nosso produto - é um direito legítimo. Entretanto, atacar e difamar nossa cadeia produtiva por meio de campanhas como esta é indigno e surpreende a todos do nosso setor - especialmente vindo de uma empresa com forte responsabilidade social como a Natura, com tantos projetos voltados para o desenvolvimento de áreas carentes, que dependem da ampla e acessível oferta de alimentos.


Desde já, agradecemos a atenção.


Francisco Turra
Presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal - ABPA.

 

 

Fonte: ABPA

Voltar