Midias Sociais 



04 de Setembro de 2018

O vírus da doença de Newcastle em pombos

 

 

Relatos de surtos em pombos com sinais clínicos neurológicos têm sido descritos em diferentes estados do Brasil tanto em areas urbanas e rurais nos últimos meses (1) . O agente infeccioso responsável pelos surtos é o vírus da doença de Newcastle (NDV) (2, 3). Este vírus, que infecta mais de 250 espécies de aves (domésticas e silvestres), apresenta uma grande diversidade genética com uma patogenicidade variável (2). O NDV é endêmico em criações comerciais em diversos países do mundo e eventualmente pode causar surtos em países livres da doenca . O vírus denominado velogenico é o mais patogenico para aves domésticas quando encontrado em criações comerciais pode gerar restrições comerciais (4).


Os isolados deste agente são classificados em duas classes (I e II) (5) e os mais patogênicos são encontrados principalmente dentro da classe II (2). Os vírus de classe II são divididos em 18 genotipos (denominados de I a XVIII) com diferentes subgenotipos (6). Os vírus do genotipo VI da classe II são frequentemente isolados de Columbiformes e, por isso, acabam sendo também conhecidos como paramixovírus de pombo (7). Os Columbiformes são considerados os principais hospedeiros do genotipo VI (8), contudo, surtos ocasionados por este genotipo já foram relatados em criações comerciais em diferentes países anteriormente, como Estados Unidos e Inglaterra (9, 10).


Por isso, precisamos ser ainda mais cautelosos em relação às medidas de biosseguridade para evitar a introdução do vírus na granja como restrição de acesso à propriedade e às aves, limpeza e desinfecção adequadas de roupas e equipamentos, evitar o contato com aves silvestres e de qualquer fonte de água que pode ter sido contaminada por aves silvestres, vacinação correta, estar alerta aos primeiros sinais clínicos.Esta doenca pode causar sinais como mortalidade aguda, queda de apetite, queda na produção de ovos, inchaço/edema ao redor dos olhos, no pescoço, na cabeça, alteração na coloração da crista, barbela e pernas, tremor de cabeca, torcicolo e paralisia. Notifique seu veterinário ou o serviço veterinário oficial assim que observar algum destes sintomas.


Helena Lage Ferreira é professora da disciplina de Epidemiologia e diagnóstico de doenças aviárias para o curso de Medicina Veterinária na Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da Universidade de São Paulo.


Referências

1. Souza S, Fredo G, Dupont P, Leite-Filho R, Pavarini SC, C. , Driemeier D. 2018. Pathological and molecular findings of avian avulavirus Type 1 outbreak in pigeons (Columba livia) of southern Brazil. Pesquisa Veterinaria Brasileira no prelo.

2. Miller PJ, Koch G. 2013. Newcastle Disease, p 89-107; 120-130. In Swayne D (ed), Diseases of Poultry, 13th ed. John Wiley & Sons, Inc., Ames, IA.

3. Carrasco AdO, Cardoso GM, Peres JA, Werther KM, M.V.A., Alves MH, Seki MC, Thomazelli LM, Durigon EL. 2018. Immunological and Molecular

Evaluation of Newcastle Disease Virus in Tissue Specimens from Free-living Birds. J Vet Med Res 5:5.

4. (2014) MotOCC (ed). 2014. Terrestrial Animal Health Code. Accessed

5. Czegledi A, Ujvari D, Somogyi E, Wehmann E, Werner O, Lomniczi B. 2006. Third genome size category of avian paramyxovirus serotype 1 (Newcastle disease virus) and evolutionary implications. Virus Res 120:36-48.

6. de Almeida RS, Hammoumi S, Gil P, Briand FX, Molia S, Gaidet N, Cappelle J, Chevalier V, Balanca G, Traore A, Grillet C, Maminiaina OF, Guendouz S, Dakouo M, Samake K, Bezeid Oel M, Diarra A, Chaka H, Goutard F, Thompson P, Martinez D, Jestin V, Albina E. 2013. New avian paramyxoviruses type I strains identified in Africa provide new outcomes for phylogeny reconstruction and genotype classification. PLoS One 8:e76413.

7. Dimitrov KM, Ramey AM, Qiu X, Bahl J, Afonso CL. 2016. Temporal, geographic, and host distribution of avian paramyxovirus 1 (Newcastle disease virus). Infect Genet Evol 39:22-34.

8. Sabra M, Dimitrov KM, Goraichuk IV, Wajid A, Sharma P, Williams-Coplin D, Basharat A, Rehmani SF, Muzyka DV, Miller PJ, Afonso CL. 2017. Phylogenetic assessment reveals continuous evolution and circulation of pigeon-derived virulent avian avulaviruses 1 in Eastern Europe, Asia, and Africa. BMC Vet Res 13:291.

9. Hanson RP, Spalatin J, Jacobson GS. 1973. The viscerotropic pathotype of Newcastle disease virus. Avian Dis 17:354-361.

10. Alexander DJ, Wilson GW, Russell PH, Lister SA, Parsons G. 1985. Newcastle disease outbreaks in fowl in Great Britain during 1984. Vet Rec 117:429-434.

 

 

Fonte: Professora Helena Lage Ferreira

Voltar