Midias Sociais 



05 de Abril de 2019

Ministra da Agricultura recebe representantes de setores produtivos

 


Comitiva, composta por produtores e agroindústrias de Minas Gerais, buscou apoio para a manutenção das operações da Casemg no estado


 

Uma comitiva organizada pela deputada federal Greyce Elias (Avante), composta por representantes dos produtores e de agroindústrias do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, foi a Brasília (DF) pedir à ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, que interceda no processo de liquidação da Companhia de Armazenagens e Silos do Estado de Minas Gerais (Casemg), cujo controle é do governo federal. O secretário executivo Marcos Montes também participou do encontro.


A dissolução e a liquidação da Casemg foram determinadas pela Resolução 50, de 16 de outubro de 2018. Representantes dos produtores de soja, milho, sorgo, café, aves e suínos protocolaram solicitações, requerendo que, no período de liquidação, as unidades da empresa que se encontram em operação - Patrocínio, Monte Carmelo, Uberaba, Uberlândia, Conceição das Alagoas, Frutal, Capinópolis e Ituiutaba - passem por um processo de transição. Ou seja, mantenham as operações, de modo que a efetiva liquidação ocorra somente após a alienação e entrega dessas áreas para o setor privado.


O processo de liquidação prevê a desestatização dos ativos da empresa. "Não é prudente encerrar as atividades de armazenagem de unidades em regiões altamente produtivas e que atendem milhares de pequenos produtores.

Historicamente, eles dependem desses silos para armazenar e proteger sua safra. Além de os produtores ficarem sem ter como acondicionar os seus produtos, faltará matéria-prima para as agroindústrias, elo seguinte da cadeia produtiva, que precisa desses insumos para industrialização e alimentação de seus animais", explica o gerente Institucional Corporativo da Pif Paf e conselheiro da Avimig, Cláudio Faria, que integrou a comitiva.


Ele ainda alerta que, na hipótese de prevalecer o fechamento das unidades, certamente haverá impactos irreversíveis no setor. "Existe um planejamento de longo prazo, e a interdependência das atividades será estrangulada por falta de silos e armazéns nas regiões", argumenta. Por isso, de acordo com Faria, há uma mobilização da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) no mesmo sentido: para que ocorra um processo de transição, mantendo-se as operações das oito unidades durante o período de liquidação da Casemg.

 

 

Fonte: Pif Paf Alimentos

Voltar